sábado, 1 de dezembro de 2007

DEPOIMENTOS

" O CHAMAMÉ é uma música fronteiriça que em particular me lembra o rio, essa música de fronteira que hermana Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai é uma grande mistura de faces da cultura índia, é por estes e outros motivos que sou apoiador do encontro de Chamameceros, realizado anualmente em São Luiz Gonzaga".
Yamandú Costa






"O CHAMAMÉ, sempre foi muito presente na vida dos missioneiros, e na minha em particular. Meu pai já tocava chamamé e embalou minha infância e hoje continuo a embalar meus filhos com este mágico ritmo, muito próprio de nossa terra".
Jorge Guedes






"Ao escutar, eu sei o que é CHAMAMÉ. É muito mais que um ritmo, é um estado de espírito; principalmente pra a população ribeirinha que vive junto às barrancas dos pequenos ou dos grandes rios como o Uruguai e Paraná e sei também que a força desse ritmo é capaz de arrancar emoções situadas na fronteira inconsciente entre o selvagem e o terno, até mesmo nas pessoas mais urbanizadas".
Luiz Carlos Borges

Um comentário:

neidi disse...

O Noel Guarany, preocupado com os costumes e princípios que estavam se perdendo e com as distorções sociais que estavam ocorrendo no mundo musical latino americano, promoveu o 1º encontro musical em S. Luiz Gonzaga, durante a 1º Fesoja, trazendo Chaloy jara e grupo em 1972.
O Encontro de Chamameceiro é seu sonho tornando-se realidade: promover um encontro (sem concorrências)da música Latino Americana.
Agradeço, por isso, a iniciativa do Jorge Guedes. PARABÉNS.